top of page

Gonzalo Torres

Gonzalo Torres

Artista da galeria desde

mai.

2024

Residência: 

Santos - SP

47

Idade:

(13) 98136-4656

Fone:

E-mail:

Instagram:

Biografia

Muitos artistas têm utilizado a arte como forma de retratar a realidade das pessoas em situação de rua, mostrando as dificuldades enfrentadas por elas e buscando sensibilizar o público para a questão. Em 2010, Gonzalo expôs "Fragilidades Urbanas", em que reproduziu imagens de pessoas em situação de rua em vários pontos da cidade de Santos. A obra tinha como objetivo dar visibilidade aos moradores de rua e provocar uma reflexão sobre a desigualdade social. Mostrava pessoas sem rosto, mas carregados de histórias, buscando dar voz e visibilidade a essa população invisível. E esse processo de pesquisa ainda continua, como um andarilho um Baudelaire da contemporaneidade. Gonzalo nasceu em 1976, em Santa Rosa de Viterbo, na Colômbia. Possui formação acadêmica na Colômbia e na Suíça pela Escola de Artes Visuais Pierre Moor e pela Oficina L’arrêté Creation, ambos em Yverdon-Les-Bains, além de outros cursos em artes visuais e arte terapia. Participou de exposições coletivas e individuais na Suíça e na Colômbia, expôs em diversos museus, galerias e espaços expositivos, como o Museu de Arte Sacra e a Pinacoteca Benedito Calixto, em Santos, no Espaço Cultural Unesp, em São Paulo e na Casa da Cultura da América Latina, em Brasília. O país em que Gonzalo nasceu e se formou tem uma tradição literária rica, com autores como Gabriel García Márquez, Nobel de Literatura, e outros escritores reconhecidos mundialmente. A arte também é uma parte importante da cultura colombiana, com artistas como Fernando Botero, conhecido por suas figuras volumosas e caricatas. A Colômbia é conhecida por seus festivais coloridos e animados, que celebram diferentes aspectos da cultura local. Alguns dos mais conhecidos são o Carnaval de Barranquilla, a Festa de Flores de Medellín e a Feira de Cali. A religiosidade é um aspecto importante da cultura colombiana, com a grande maioria da população sendo cristã, principalmente católica. Muitas cidades têm suas próprias tradições religiosas e celebrações, como a Semana Santa em Popayán. Gonzalo se refugiou para Brasil , por conta de conflitos colombianos — um dos mais antigos da América Latina, decorrente da disputa pelo poder entre liberais, conservadores e socialistas; além de grupos paramilitares, os traficantes e os guerrilheiros de esquerda, como as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) e o Exército de Libertação Nacional (ELN), lutando entre si para aumentar sua influência em território colombiano. Hoje, no país, firmou-se um acordo de paz entre o governo e as FARC, que previa principalmente o desarmamento, e anistia aos guerrilheiros. Em 10 de Abril de 2017, o registro das armas foi concluído em conjunto com a Organização das Nações Unidas. Ao chegar no Brasil em 2010 se estabeleceu em uma Igreja, local onde funciona uma ONG internacional para auxiliar os marinheiros. Gonzalo, que fala cinco línguas , foi contratado para esse auxílio, trabalhando até hoje nesse local. Casou-se com uma brasileira e vive em Santos com cidadania brasileira. Com muita influência estética europeia em sua formação acadêmica, com tendências artísticas internacionais, mas com um toque local colombiano, seu trabalho ganhou figuras volumosas e cores vibrantes; às vezes com cores baixas, mas o vermelho sempre presente em sua paleta. Nos últimos trabalhos, mais especificamente para essa mostra “Rosto sem identidade”, Gonzalo passou a inserir no fundo de tela o branco; às vezes até parecem esboços de uma pintura, mas as características colombianas nos traços não desapareceram. O trabalho do Gonzalo nos faz pensar onde estamos, já que mesmo com suas tradições estéticas voltadas para euro centro , ele consegue desviar nosso olhar para experimentar , “sentir que algo inelutavelmente nos escapa, isto é : quando ver é perder. Tudo está aí”1.

Currículo

Brasil Casa Galeria São Paulo maio 2023 • Pinacoteca municipal de Bauru SP, dezembro de 2017 • Pinacoteca Benedito Calixto, Santos SP, julho de 2017 • Centro histórico Mackenzie coletiva com APAP, maio de 2017 • Espaço Cultural Unesp São Paulo, 2016 • Coletiva Casa Galeria, São Paulo SP, dezembro de 2015 • Casa da Cultura América Latina, Brasília DF, dezembro de 2015 • Biblioteca Municipal de Santos, Santos SP, julho de 2015 • Espaço Cultural Unisanta, Santos SP, maio de 2015 • Coletiva Casa Galeria, São Paulo SP, dezembro de 2014 • Coletiva Centro Cultural José Marti, Santos SP , dezembro de 2014 • Galeria Gourmet, São Paulo SP, maio de 2014 • Centro histórico Mackenzie, São Paulo SP, maio de 2014 • Aliança Francesa de Santos, Santos SP, março de 2014 • EM&T ESCOLA DE MUSICA, São Paulo SP, março de 2012 • Museu de Arte Sacra de Santos, Santos SP, novembro de 2011 • Santos a Melhor Cidade Para Se Viver, agosto 2019 • Shapira e Ventura Gallery SP, novembro 2019 Colômbia Gachancipa Restaurante São Fermino Janeiro 2024 • Centro Cultural de Gachancipá – Abril de 2013 • Museo de Antioquia, Medellín – Junho de 2009 • Alianza Francesa de Santa Marta – Março de 2009 • Casa Cultural Colombo Alemana de Cartagena de Indias – Março de 2008 • Alianza Colombo Francesa Cartagena de Indias – Novembro de 2006 • Fundación Casa Italia: Proyecto Boca Azul, Cartagena – Julho de 2006 Suíça • Art Henia – Lausane – Agosto de 2005 • Libre comme le vent – Lausane – Dezembro de 2005 • Espace Culturel Du Hessel – Setembro 2019

Obras Presenciais

Produção

Obras Disponivéis

Obras Vendidas

bottom of page